Carta ao Leitor: Magia ou Feitiço

tempoCaro leitor, a maioria das pessoas tem uma fixação pelo tempo, que as impede de viver o presente momento, sentindo-se impotentes diante das situações que estão ocorrendo, pois, para elas, nada se pode fazer já que estes acontecimentos são resultados de situações que ocorreram anteriormente. Daí o fato dos filmes de ficção sobre viagem no tempo fazerem tanto sucesso; é o sonho de muitos poder voltar ao passado para acertar as decisões erradas que foram tomadas ou viajar para o futuro na esperança de compreender qual deve ser a melhor decisão neste presente momento.

Mas se pensarmos bem, se isso fosse possível, ao voltar no passado para mudar o presente, estaríamos deixando de viver este momento para reviver o anterior, só que as pessoas que ficaram continuaram nessa passagem de tempo, mas se voltássemos no espaço-temporal do qual havíamos saído para não perder esse tempo, estaríamos mais velhos do que as outras pessoas já que passamos um tempo no passado, também ficaríamos presos no passado, pois as pessoas que deixamos ao voltar no tempo continuariam a seguir suas vidas e já não se encontrariam naquele ponto do qual partimos e retornamos.

Nossa até parece um feitiço ou armadilha do tempo no qual a pessoa fica presa sempre nos mesmos problemas, cada vez que vai para o passado ou futuro e volta, os mesmos problemas se apresentam de maneira diferente, ainda bem que isso é ficção, será mesmo?

Quantas pessoas ficam se culpando por erros no passado, culpando os outros ou pondo culpa numa situação que aconteceu, ficam se remoendo por remorso, raiva ou vitimação, ou seja, ficam presas ao passado. Outras ficam presas no futuro, que ao contrário daquelas se enchem de afazeres que visam o seu crescimento profissional e econômico, não reclamam da sua existência, mas são severos críticos dos menos hábeis em ganhar e acumular dinheiro.

Tanto um como outro não conseguem viver o presente momento. Sendo assim, também não conseguem perceber os que estão à sua volta, consequentemente, não notam as necessidades deles, pois estão sofrendo com seus fracassos ou extasiados com os seus sucessos.

Por este motivo que estes viajantes do tempo, quando a vida os obriga a ver o presente momento através de uma situação de desencarne, envolvimento com droga, crime ou traição por um “ente querido”, ficam atônitos sem saber se colocar no tempo, sentem raiva e remorsos do passado, desgosto pelo presente e medo do futuro.

Então, o tempo é mesmo uma armadilha ou feitiço? Claro que não, estes são criados por nós, pela nossa rebeldia em não aceitar a nossa capacidade ou condição energética no momento da decisão, da situação em si que ocorrem os acontecimentos ou por condenar os outros pela sua forma de ser. Também pode ser pela vaidade e orgulho, focando ser melhor e possuir mais do que os outros.

Neste plano da existência, temos os polos positivo e negativo, então, se existe o feitiço também existe a magia. Esta ocorre por agirmos no presente e não por reagirmos a situações do passado ou com medo do futuro. O presente, como o próprio nome já diz, é uma dádiva concedida para consertar o passado através da nossa reforma interna, trocando os nossos maus hábitos e substituindo-os por bons. Assim, as nossas atitudes diante das situações serão baseadas no amor pela nossa vida e pelos outros.

Assim, estaremos evoluindo diária e continuamente, pois a capacidade que conquistamos e aprimoramos hoje, nos torna melhores do que éramos no passado e, com certeza, construirá um futuro melhor, propiciando melhores oportunidades.

Um grande abraço,
Gilberto Hisashi Arahawa
Pré-Iniciado

Fontes: Ser Ocultista – E.S. Morais – Carta ao Leitor
Carta de Amor – E.S. Morais – Carta ao Leitor
Foto: © Valerii Zan – Fotolia.com

Posts Recentes

Assine já!

Quer estar por dentro das últimas novidades?

Não se preocupe, também não gostamos de spam ;)
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de privacidade.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Veja Também

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Institucional