Segunda, Junho 26, 2017
   
Text Size

Pesquisa

A ética no uso das células tronco

 

celulatronco

Apesar de aprovada a Lei de Biossegurança pela qual são permitidas pesquisas com células tronco retiradas de embriões humanos, que não foram utilizados em clínicas de fertilização, ainda existe muita polêmica a respeito do uso das células tronco embrionárias.
Com o fundamento de que ofende o direito à vida dos embriões ao permitir sua utilização para formação de células tronco para pesquisas, a lei foi considerada inconstitucional. Entretanto, em 2008 o assunto voltou a ser discutido pelo STF (Supremo Tribunal Federal) declarando a Lei constitucional. A partir de então as pesquisas brasileiras têm embasamento e os cientistas mais segurança legal para realizá-las.

A discussão foi embasada por argumentos científicos, religiosos e políticos, mas para se manifestar uma opinião, é necessário conhecer um pouco mais sobre o assunto, começando pelo aspecto científico: o que são e como podem ser encontradas as células tronco .

No organismo humano há uma pequena quantidade de células tronco em vários tecidos e órgãos, como cérebro, sangue, córnea, coração, pele, medula óssea, intestinos, e cordão umbilical. Estas células ficam latentes até serem ativadas por uma enfermidade ou um ferimento. Por exemplo, as células do cordão umbilical produzem células sanguíneas e também células mesenquimáticas, capazes de gerar ossos e cartilagens.

O Brasil muito avançou em pesquisas no que diz respeito às células tronco adultas, que já são utilizadas sem qualquer impedimento legal, há algum tempo. Instituições como a Fundação Oswaldo Cruz (BA), Instituto de Genoma da USP (SP), dentre outras no país, estão obtendo excelentes resultados já publicados em revistas científicas internacionais. Mas, com relação às células tronco embrionárias , pouco ainda se sabe.

celulatroncob Pesquisas indicam que a diferença principal entre às células tronco embrionárias e adultas é que estas não se revelaram aptas a se transformar em todos os tipos de células, pois não são pluripotentes ou totipotentes , como as embrionárias. As células tronco embrionárias são totipotentes, porque podem formar todos os mais de 200 tecidos que compõe o organismo humano, inclusive a placenta. Estas células, segundo a legislação brasileira citada, podem ser utilizadas a partir de embriões obtidos em clínicas de fertilização in vitro, armazenados há mais de três anos, e que os pais autorizem a doação. Não se trata aqui de clonagem terapêutica, que não é permitida no Brasil, mas de embriões produzidos de um óvulo e um espermatozóide, em laboratório, e que estão congelados há mais de três anos, os quais, não foram utilizados.

Célula é definida pelo dicionário, como a menor unidade de matéria viva que pode existir de maneira independente, e ser capaz de reproduzir-se. A vida está inserida não somente no embrião, mas em qualquer célula. Este conceito não é religioso, mas está contido no dicionário, e assim, é considerada pela biologia.

Retornando ao aspecto ético, se os embriões serão descartados, qual o problema em utilizar este riquíssimo material, composto de Vida, para que seja possibilitado um avanço da ciência e um desenvolvimento também da vida? No entendimento de muitos brasileiros, a lei questionada não ofende o princípio constitucional da dignidade da vida humana, mas permite que a vida das células embrionárias seja também desenvolvida.

A lei da biossegurança poderia ter ido mais além, permitindo também a clonagem terapêutica, para que a ciência pudesse possibilitar um avanço na qualidade vida das pessoas doentes e que precisam dos resultados positivos das pesquisas. Ela foi estabelecida justamente para limitar possíveis usos antiéticos dos embriões, eis que os mesmos não seriam utilizados para nada, e estariam fadados a permanecer por muitos anos nos congeladores, sem qualquer possibilidade de desenvolvimento, até serem “finalmente”, jogados no lixo.

O homem evolui, a ciência avança e com isso penetra cada vez mais nos mistérios que envolvem a formação de cada partícula existente no universo. O Brasil se destaca com suas pesquisas contribuindo no desenvolvimento técnico e científico para o progresso e continuidade da vida. A cada dia, o brasileiro mostra sua dedicação e sua força no que diz respeito à manutenção da vida no planeta. Pode-se dizer que isso é uma das características marcantes deste povo que com “raça”, alegria, dedicação e fé, trabalha e realiza para mostrar ao mundo que todos são capazes, desde que se acreditem em si mesmos.

Saiba mais: Células tronco e o avanço da ciência .

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4