Quinta, Abril 27, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Videogames - parte 6: Recomendações aos Pais

Uma vez que foi exposto durante a série todas as vantagens e desvantagens da prática de se jogar videogame, será abordado agora, as recomendações aos pais das crianças que se interessam por jogos. Os pais devem monitorar a criança ao jogar da mesma forma que devem monitorar os programas de televisão e outras mídias que essa assiste.

Ser um Pai / Mãe amoroso(a) e atento(a), que disciplina o filho é muito importante. Uma criança agressiva é mais um produto da má educação ou falta de atenção dos pais do que qualquer outra coisa. Isso, somado a jogos violentos e TV, pode ser muito prejudicial à criança. De acordo com psicoterapeuta Robert Butterworth, PhD, má educação por parte dos pais, crianças com pouca culpa, e acesso fácil a armas de fogo com pouca ou sem supervisão dos pais geram filhos violentos.

"A maioria das crianças que comete crimes violentos mostram uma combinação de personalidade precoce e fatores familiares com problemas para se relacionar com colegas na pré-escola", diz Butterworth. "Ainda na escola apresenta baixo rendimento e tem poucos amigos. Em 10 anos de idade provoca briga e ficar rotulado pelos seus colegas como isolados".

Essas crianças geralmente vêm de famílias onde os pais não dão disciplina aos filhos, são negligentes, repressores e/ou usam punições severas, com pouco amor às suas falhas. 

Apesar de jogos de vídeo poderem ser uma experiência de aprendizagem, deve-se dar à criança uma variedade de coisas divertidas para que ela aprenda e também para que não se vicie em uma coisa só. Certifique-se de fazê-la ler bons livros, praticar esportes, interagir com outras crianças, e assistir bons programas de televisão. Tudo deve ser feito com moderação.

A Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças não gastem mais do que uma a duas horas por dia na frente de todos os monitores eletrônicos, incluindo TV, DVDs, vídeos, jogos de videogame (notebook, console ou desktops), e os computadores (para uso não-acadêmicos). Isso significa sete a quatorze horas por semana, no máximo.

Limite a quantidade de tempo que a criança pode jogar e também utilize a classificação da faixa etária dos jogos de videogame para limitar o conteúdo dos mesmos, para que ela tenha um melhor desempenho escolar e também entre menos em brigas.

Monitore o efeito dos videogames sobre seu filho. Observe o seu comportamento. Se notar que ele está se tornando mais agressivo com os irmãos ou amigos durante o período em que está jogando jogos violentos, impeça-o de utilizar jogos com esse conteúdo. Se ele se interessa por história depois de jogar jogos históricos, então esse tipo de jogo é benéfico para ele.

O importante é saber usar a tecnologia acessível para o desenvolvimento de um bom ser humano, que colabore com a sociedade e que construa uma vida feliz e equilibrada. Não há problemas se usamos dos artifícios que existem, desde que haja moderação e responsabilidade.



Bibliografia:
- Retirado de: http://www.raisesmartkid.com/3-to-6-years-old/4-articles/34-the-good-and-bad-effects-of-video-games, acessado em: Janeiro de 2011.
- Retirado de: http://www.media-awareness.ca/english/parents/video_games/good_things_videogames.cfm,   acessado em: Janeiro de 2011.
- Retirado de: http://www.worldstart.com/video-games-good-or-bad/, acessado em: Janeiro de 2011.

LEIA MAIS:

Videogames - parte 1: Vantagens 

Videogames - parte 2: Vantagens

Videogames - parte 3: Vantagens   

Videogames - parte 4: Desvantagens 

Videogames - parte 5: Desvantagens

Videogames - parte 7: Recomendações aos Pais

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4