Sábado, Agosto 19, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Roubo de Software

piratariaO roubo de software é algo tão frequente desde o advento do microcomputador que se criou um eufemismo para distingui-lo de outras formas de roubo: a pirataria de software. É difícil nos dias de hoje encontrar um usuário de microcomputador que nunca tenha pirateado alguma forma de conteúdo digital. Esta é sem dúvida uma questão ética complexa, mas que precisa estar clara para todos nós, mesmo que nossa decisão seja antiética.

A pirataria de software foi sem dúvida um dos motores da popularização dos microcomputadores que se iniciou na década de 90. Os novos usuários só precisavam gastar dinheiro com o hardware, pois o software podia ser facilmente conseguido de graça junto de um amigo ou à venda em lojas de mercadorias contrabandeadas. De certa forma esta corrida ao software pirata ajudou a popularizar os sistemas operacionais e outros aplicativos que a maioria das pessoas utiliza atualmente. Talvez se a facilidade de copiar software não fosse tão grande, aplicativos como o Microsoft Office não tivessem se difundido tanto.

O início do milênio foi marcado pela crescente digitalização do entretenimento. Músicas, imagens e vídeos que antes eram gravados analogicamente passaram a ser digitalizados. Os discos de vinil e as fitas cassete deram lugar aos CDs e aos formatos digitais compactados como o popular mp3. As fotografias que antes eram gravadas em filmes de algumas dezenas de poses passaram a ser digitalizadas no momento de sua aquisição. Os filmes também deixaram as famosas fitas VHS para os DVDs e discos Blu-ray, onde se tornaram arquivos digitais.

A pirataria sempre foi possível, mesmo na época das mídias analógicas, entretanto as cópias perdiam qualidade em relação a sua versão original. Este fato estimulava muitas pessoas a evitarem a pirataria, porém quando o entretenimento passou a ser digital esta desvantagem desapareceu. A internet também ajudou a proliferar ainda mais esta prática ilegal através de sites especializados na organização e distribuição de conteúdo digital pirata. O prejuízo que a pirataria trouxe para a indústria de software em 2009 foi da ordem de 50 bilhões de dólares.

O mais interessante é que a maioria das pessoas que não se sente culpada por utilizar software sem licença e copiar músicas e filmes sem autorização, jamais roubaria explicitamente uma pessoa ou uma empresa. A pirataria tornou-se lugar comum apesar das questões éticas que a envolvem, porém não podemos dizer que ela é normal, pois não é normal roubar.
Dizer não à pirataria é dar um passo a mais no aprimoramento de nosso caráter e de nossos valores enquanto seres espirituais, pois cada passo que damos para seguir a lei dos homens são dois passos que damos para compreendermos as leis da Creação.

Imagem:  Stephane Tougard | Dreamstime.com

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4