Sexta, Novembro 24, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Videogames - parte 2: Vantagens

videogameparteiiDando continuidade à série, aqui temos o segundo artigo da série videogames. Como ainda é muito polêmico o assunto Videogame e, por existirem muitas opiniões divergentes sobre se o seu uso é positivo ou não, criamos esta série de artigos para enumerar as vantagens e desvantagens de se jogar vídeogame, baseando-nos em literatura específica obtida por meio de pesquisas científicas realizadas sobre o assunto.

Alguns jogos de estratégia como: SimCity, Age of Empires, e Railroad Tycoon, entre outros, são baseados na simulação de administração de uma cidade, um império, uma obra etc. Nestes jogos, os jovens aprendem o “gerenciamento de recursos e logística”, em que o jogador é forçado a aprender a gerir os recursos que são limitados, e decidir a melhor utilização dos mesmos, da mesma forma que na vida real.

Também em jogos de estratégia o jogador é forçado a trabalhar com “multitarefa e rastreamento simultâneo de muitas variáveis” e ainda precisa gerenciar múltiplos objetivos.  Por exemplo, durante o desenvolvimento de uma cidade, uma surpresa inesperada como um inimigo pode surgir. Isso força o jogador a ser flexível e mudar rapidamente de tática.

Jogos também podem ajudar a desenvolver um raciocínio rápido, aumentando a velocidade de análise e tomada de decisões. Segundo pesquisadores da Universidade de Rochester, liderado por Daphne Bavelier, um cientista cognitivo, jogos de simulação de eventos estressantes, como os de ação ou batalha, podem ser uma ferramenta de treinamento para situações do mundo real. O estudo sugere que jogos de ação preparam o cérebro para tomar decisões rápidas. Jogos de vídeo podem ser usados para treinar soldados e cirurgiões, de acordo com o estudo.

Segundo Steven Johnson, autor de Everything Bad is Good For You: How Today's Popular Culture is Actually Making Us Smarter, calls this "telescoping.", videogame nos ensina “estratégia e antecipação”. Os jogadores devem lidar com problemas imediatos, mantendo seus objetivos de longo prazo em mente.

Jogos também nos forçam o desenvolvimento de conhecimentos de matemática e leitura, pois neles somos obrigados a ler para obter instruções, pois são nos seus textos, que encontramos as informações necessárias para seguir o enredo e alcançar alguns objetivos. Além disso, usar as habilidades de matemática é importante para se vencer muito jogos, que envolvem análise quantitativa, como gestão de recursos.

Quem costuma jogar videogame sabe o quanto de “perseverança” podemos aprender e desenvolver, em jogo difícil. Para se alcançar níveis mais altos de um jogo, os jogadores costumam falhar na primeira vez, mas precisam tentar até conseguir passar para o próximo nível.

“Reconhecimento de padrões” é outro fator importante que pode ser desenvolvido. Em muitos jogos existem “mini games” que envolve lógica, sendo que, para o jogador conseguir avançar, precisa através de sua habilidade de reconhecer padrões, descobrir qual é a solução para o problema.

“Raciocínio indutivo e testes de hipóteses” são outros fatores descritos por James Paul Gee, professor de Educação da Universidade de Wisconsin-Madison, que afirma que jogar um videogame é semelhante a trabalhar com um problema da ciência. Assim como os alunos em um laboratório, os jogadores devem testar uma hipótese. Por exemplo: os jogadores em alguns jogos estão constantemente experimentando combinações de armas e poderes para usar e derrotar um inimigo. Se um não funcionar, eles mudam a tecnica e tentam uma nova combinação. Os videogames são experiências orientadas com um objetivo, segundo Gee, eles são fundamentais para a aprendizagem.

Outra característica desenvolvida através de jogos de videogame é o “Mapeamento”. Em muitos jogos os jogadores usam mapas no jogo ou precisam criar mapas em suas cabeças para navegar pelo mundo virtual, forçando também o uso da memória.

Mas, um dos mais importantes pontos destacados é o “Trabalho em equipe e cooperação”. Muitos jogos são jogados online e envolvem a cooperação com outros jogadores online, a fim de ganhar. Alguns colaboram para o desenvolvimento de convivência, relações interpessoais e colaboração entre indivíduos.

Também é observado o desenvolvimento de “Simulação de habilidades do mundo real”, pois existem diversos jogos que simulam de maneira mais realista possível situações da vida real, como os conhecidos simuladores de voo, que tentam imitar a realidade de pilotar um avião. Eles simulam todos os controles, incluindo a velocidade, ângulos de asa, possuem até altímetro que são exibidos para o jogador, assim como uma representação visual do mundo que é atualizada em tempo real. Sabe-se que a NASA e outras agências de tecnologias usam simuladores desenhados para videogames com a finalidade de treinar, desenvolver e preparar astronautas, pilotos etc.

Assim, fica claro e comprovado que existem inúmeras vantagens em se jogar videogame, principalmente nos primeiros anos de vida por ajudar a desenvolver as habilidades acima. Mas, como tudo na vida, deve ser usado com inteligência e finalidade de crescimento, isto é, deve-se usar com equilíbrio e bom senso.

Nos próximos artigos serão abordadas ainda outras vantagens dos videogames, seguido pelas desvantagens, que também não são poucas.

Bibliografia:
- Retirado de: http://www.raisesmartkid.com/3-to-6-years-old/4-articles/34-the-good-and-bad-effects-of-video-games, acessado em: Janeiro de 2011.
- Retirado de: http://www.media-awareness.ca/english/parents/video_games/good_things_videogames.cfm,   acessado em: Janeiro de 2011.
- Retirado de: http://www.worldstart.com/video-games-good-or-bad/, acessado em: Janeiro de 2011.
- Retirado de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Videogame, acessado em: Janeiro de 2011.
Fonte imagem:
© Tatyana Chernyak | Dreamstime.com

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4