Terça, Setembro 26, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Sensibilidade se desenvolve

sensibilidadeIsto mesmo, a sensibilidade é a importância dada por cada um à Vida, extraindo de todas as experiências vividas, as lições que nos tornam seres melhores. A criança é, por natureza, mais sensível que o adulto e, se estimulada corretamente, terá nesta capacidade, poderoso instrumento de observação e conclusão da Vida e será capaz de expressá-La em toda a sua beleza.

É importantíssimo, no primeiro ano de vida, que o trabalho dos pais faça com que ela não perca esta capacidade e, ao mesmo tempo, viva de forma equilibrada emocional e fisicamente.

Até os seis meses de idade cabe aos pais trabalhar com a sensibilidade telepática da criança. Como ela é uma recém saída do plano astral, tem uma facilidade muito grande para trabalhar com este tipo de energia. É de responsabilidade dos pais, através do olhar amoroso e do pensar com carinho e amor nos filhos, fazer com que a criança se sinta plena desta energia. Isto quer dizer que mesmo os pais que trabalham fora podem exercitar esta capacidade em seus filhos, pois basta pensar neles com toda forma de amor, por alguns instantes, que os filhos sentirão esta energia. Ela ainda não entende o verbo, mas compreende a energia de afeto, sente a vibração agradável. Essa é a base para um desenvolvimento evolutivo saudável.

A partir dos 6 meses, a criança começa a perceber vibrações de outros seres, além de seus pais. O ambiente físico ainda é nebuloso, mas o ambiente energético começa a ser percebido. Importante neste momento é ter, no convívio, seres de outros reinos como plantas e vegetais, pois a percepção energética destes seres criará um ser capaz de respeitar outras formas de vida e lança as bases para a formação de um ser universalista. Energias diferentes às dela, convivendo em um mesmo ambiente.

O contato com o mundo externo e a percepção dele se dá, principalmente, através do toque e massagens, como a Shantala, que levam a criança a adquirir uma melhor consciência de si mesma e de seu corpo no ambiente. Todas as partes do corpo da criança devem ser tocadas pelos pais, sem preconceito, e no momento da massagem, conversar mentalmente com a criança sobre a beleza de cada parte de seu corpo e a perfeição nele instalada.

A partir de um ano, as mãos são um poderoso instrumento de conhecimento do mundo. Tudo deve ser tocado pelas duas mãos, que integralmente percebem as energias yin/yang que compõem o sistema no qual reencarnou. Em sequência, os lábios devem ser utilizados para conhecer os mais diversos tipos de alimentos e sabores. Quanto menos enjoada for para comer uma criança, mais capacidade de socialização e respeito pelo que é diferente terá a criança.

Desde pequena, a criança deve ser levada a conviver com uma diversidade de estímulos para que seu corpo físico desperte neste plano e possa retirar dele o maior número de informações para poder manifestar as qualidades inerentes ao ser que reencarnou, com um potencial ilimitado em termos espirituais.

Se a criança tiver esta base de desenvolvimento da sensibilidade e for bem orientada no sentido da positividade e do ressaltar de suas qualidades, será muito mais fácil lidar com os outros e consigo mesma frente às dificuldades, pois ela foi preparada para sentir o afeto, perceber o que é bom e, portanto, terá mais propriedade ao fazer suas escolhas.

Bibliografia

MORAIS, E. S. Estudo. Realizado em ocasião de Reunião do Grupo Escola. IPE – Instituto de Pesquisas Evolutivas. Paulínia, 21 de abril de 1999.

Leia mais:
•    Aprendizagem da Espiritualidade
•    Ensinando seus filhos a orar
•    Cuidados espirituais para ver Deus


Foto: © Galina Barskaya | Dreamstime.com

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4