Domingo, Julho 23, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Cuidados Espirituais para ver Deus

Imagem14O tema da palestra é original de uma carta ao leitor escrita para os pais, em que são fornecidas orientações sobre a educação de um filho. Todos somos filhos ainda a aprender muito. A maturidade, na maioria das vezes, não predomina em nossas atitudes. Portanto, é sempre bom relembrar quais são estes cuidados para que nós mesmos possamos atentar a estes cuidados espirituais, ou seja, vamos procurar identificar o tamanho da atenção espiritual sobre o predomínio da personalidade em nossas vidas.

Quando a maturidade não se evidencia, significa que a personalidade é quem está predominando no comportamento e não a razão. Dentre os cuidados espirituais estão toda a disciplina que deve ser passada pelos pais às crianças, a fim de que sua personalidade seja moldada para que se torne um adulto saudável, equilibrado, coerente, íntegro, em que sua razão predomine.

O início do dia deve ser com uma prece sentida, sincera; a criança deve acordar cedo, fazer sua higiene pessoal (tomar banho, escovar os dentes, usar roupas limpas), tomar café da manhã completo. Se não for à escola pela manhã, deve estudar no mínimo duas horas por dia (pode ser fracionado), num local apropriado e com material disponível. As refeições devem ser balanceadas e nutritivas, de preferência o mais natural possível. Ao deitar a criança deve ter uma leitura, e os pais devem criar o hábito de conversar sobre o que leram. Importante que se adote o costume de tomar três banhos ao dia, cuidar muito bem da higiene bucal, lavar sempre as mãos, fazer exercícios físicos e dialogar com os filhos.

Estes cuidados devem ser tomados também pelos pais, que devem estar atentos para os aspectos espirituais, sempre fazer preces sentidas, e aprender e ensinar a ver Deus em tudo e em todos, para que ambos consigam ter paz de espírito e felicidade. Um filho, antes de ser seu filho, é filho de Deus, e é um irmão que lhe foi confiado por Deus, diante da capacidade dos pais para amá-lo e ajudá-lo a crescer.

Uso do cigarro em casa na frente das crianças. O uso de drogas é motivo de desestruturação moral, espiritual e material do lar. As drogas não são somente as ilícitas, mas as socialmente aceitáveis, como fumo ou bebida. Elas escravizam os homens com ansiedades, que se iludem em amenizar os problemas. Destroem os reflexos, a sexualidade, a sensibilidade e o controle de si mesmo, pois tornam o homem escravo delas,um suicida. O excesso de trabalho e outros vícios também são drogas a desestruturarem um lar.

A estrutura de um lar depende da estrutura dos pais. Quantos de nós dizemos com naturalidade e sentimento o quanto amamos os nossos filhos, ou mesmo os nossos amigos, e quanto queremos ajudá-los a serem mais felizes? A luta pela melhora de si mesmo, num encontro de uma estrutura interna é necessária para que possamos ajudar cada vez mais os que nos rodeiam, num contexto próximo ou distante. Dos filhos até a humanidade. A principal característica de uma criança a qual se confunde com uma personalidade não desenvolvida, é o egocentrismo, ou o egoísmo.

Se os pais não se cuidarem para que adquiram maturidade, e saibam orientar os filhos, a criança não terá parâmetros e limites para o seu desenvolvimento. As orientações começam a partir do corpo físico, como as citadas acima, as quais vão propiciar um equilíbrio para os demais corpos da emoção e da inteligência. Com a formação equilibrada da personalidade, será possível o acesso à razão, que não está na personalidade, e a expressão da espiritualidade, mediante atitudes maduras e íntegras, que se espera de um adulto bem educado.

Dentre as definições de maturidade, o dicionário traz a “fase do ciclo vital de um lago na qual se registra certo equilíbrio entre o recebimento de suas águas e a perda delas.” Relaciona também com maturação, ou seja, no sentido fisiológico, o “processo de transformação e desenvolvimento de um órgão ou organismo para o exercício pleno de suas funções, e que se prende essencialmente à idade.” Se considerarmos que as emoções são as águas de um lago, que poderia ser translúcido e calmo, caso a personalidade fosse bem formada, ou seja, fosse maturada a ponto de exercer plenamente suas funções, de veicular a consciência, e não de predominar os instintos e emoções.

O que se verifica hoje em dia em termos de desestruturação de um relacionamento, seja familiar, ou mesmo entre amigos, é um predomínio de aspectos emocionais e até instintuais, em que há um descontrole destes aspectos.

Na criança fica muito fácil perceber a falta de respeito, principalmente se ela é mimada e não reconhece a maior hierarquia dos pais. Também há muitos casos hoje em dia de crianças hiperativas, as quais são dificilmente controladas por pais ou professores. Há uma exigência decorrente de um senso comum irracional, de que as crianças devem ser soltas e estimuladas. Ora, há um excesso de informações presentes no mundo e a criatividade deve mesmo ser estimulada, o acesso às informações deve ser valorizado, porém, os limites devem ser impostos para que haja uma adequação do uso das energias. A criança exige limites que devem ser colocados, demonstrada a maior hierarquia dos pais, e que ela deve ter estes limites porque ainda está aprendendo.

Uma flexibilidade somente pode ser conferida para quem tem responsabilidade e não se pode exigir esta responsabilidade da criança, que ainda está aprendendo. A hiperatividade indica um baixo aproveitamento de todas as informações que são oferecidas à criança, que deve ser orientada e educada com valores para discernir, no futuro, o que pode ou não ser aproveitado e o que deve ser respeitado. A criança hiperativa não tem um foco, uma objetividade, mas atira para todos os lados e não consegue produzir nada, nem mesmo um desenho.

Outro aspecto a ser desenvolvido e não pode ser perdido na idade adulta é o bom humor. Normalmente as crianças trazem a alegria em seu cotidiano e nas brincadeiras, que, porém também devem ser orientadas, de forma positiva e estimuladas para uma continuidade do sorriso em todo o decorrer da vida. Há muitos adultos que se esquecem de sorrir, de brincar e deixam o mau humor se tornar característico de uma fase adulta, o que é incompatível com o aspecto divino. O mau humor demonstra uma ingratidão e o esquecimento de se reconhecer Deus em tudo e em todos, em que o ser acaba preso em seu turbilhão que foi gerado por si mesmo. Exemplo da dentadura, que aumenta a expectativa de vida de idosos.

As águas devem ser acalmadas mediante disciplina diária, para que as funções espirituais sejam expressadas. As informações estão presentes para todos, o foco deve ser espiritual. O desenho de nossa vida pode ser muito objetivo, claro e colorido, caso saibamos reconhecer as hierarquias, identificar nossas responsabilidades, aproveitar toda a orientação que nos é fornecida a todo momento.

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4