Quarta, Novembro 22, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Maio de 2005

Carta ao Leitor - A dor é inevitável, o sofrimento é opcional

Caro leitor, outro dia li a frase que intitula esta carta e achei muito interessante discutirmos sobre ela. Infelizmente não me recordo quem foi o autor de tal frase, mesmo assim, ele ou ela, tem o meu respeito. A dor é um processo causado por uma inadequação energética. Vamos clarear, bem no popular... Se você usa sapatos número trinta e oito e compra um sapato número trinta e cinco e usa-os, é claro que serão inadequados a você pelo tamanho que não equivale ao seu número. Acontecerá de você sentir dor, e é claro, o sapato é o causador da dor... É mesmo? Foi ele que se enfiou no seu pé? Ou foi você quem comprou três números menores? E qual foi o motivo de ter comprado três números menores? Também pode ser que você não compre os sapatos, mas os ganhe. E ai? Usará os sapatos? Mesmo que eles sejam pequenos, machucarão o seu pé? A primeira vista, se é o único par de sapatos... O que fazer?

Leia mais:Carta ao Leitor - A dor é inevitável, o sofrimento é opcional

Brasil - Habilidade e criatividade no violão brasileiro

Leia mais:Brasil - Habilidade e criatividade no violão brasileiroO violonista e compositor Yamandú Costa é nome forte no atual cenário da música instrumental brasileira, seu talento na destreza com o violão é sua marca registrada. Yamandú significa “precursor das águas” em tupi-guarani, e é o nome de uma revelação da música brasileira: Yamandú Costa, brasileiro, nascido em 24 de Janeiro de 1980, na cidade gaúcha de Passo Fundo, começou a estudar violão aos sete anos de idade com o pai Algacir Costa, também violonista e trompetista.

Leia mais:Brasil - Habilidade e criatividade no violão brasileiro

Raios - Quarto Raio: Harmonia através do conflito

No primeiro artigo desta série sobre Raios vimos que, aquilo que designamos como Raios, são expressões da energia de Deus e dizer que somos expressões destes raios, significa que existimos como manifestação dessas energias. Os Raios possuem qualidades definidas, as quais transferem ao âmbito onde atuam; formam e compõem tudo o que existe, estão presentes em tudo. O desenvolvimento da vida interna e externa do homem está diretamente ligado à ação dos Raios.

Leia mais:Raios - Quarto Raio: Harmonia através do conflito

Comportamento - Os perigos da autoanálise

Leia mais:Comportamento - Os perigos da autoanálise“Análise significa a separação de um todo em seus elementos ou partes componentes, ao mesmo tempo em que se realiza um estudo pormenorizado de cada uma dessas partes, com a finalidade de conhecer melhor as suas naturezas, suas funções, suas relações, suas causas etc”.

Assim, a autoanálise consiste em separarmos as nossas naturezas (corpo físico, corpo emocional e corpo mental), e estudá-las com conscienciosidade, para que possamos aperfeiçoá-las, de modo a sermos seres melhores, mais responsáveis, com uma convivência melhor, com serviço ativo e útil integral, e dessa forma, estarmos mais perto do nosso Espírito.

Leia mais:Comportamento - Os perigos da autoanálise

Ciência e Espiritualidade - Albert Einstein: cientista e ocultista

Leia mais:Ciência e Espiritualidade - Albert Einstein: cientista e ocultistaAtravés das teorias da relatividade, especial (1905) e geral (1915), Albert Einstein mostrou, de forma precisa, a união espaço-tempo, que é um modelo quadridimensional do universo, onde uma partícula precisa de quatro valores para ser posicionada, três deles se referem às coordenadas espaciais e o outra, ao tempo. Ainda acrescentou, se um observador estiver na velocidade da luz, aqueles quatro valores não serão absolutos e sim, relativos à velocidade e à posição do observador. Einstein queria provar que existiam dimensões paralelas, e essa ideia deu inúmeras interpretações como podemos ver em diversos livros e filmes de viagens no tempo e mundos paralelos.

Leia mais:Ciência e Espiritualidade - Albert Einstein: cientista e ocultista

Espaço Cultural - Ray - Um exemplo de superação

Ray Charles Robinson (1930-2004) é vítima de glaucoma, que tratado com receitas caseiras, o leva à cegueira aos 6 anos de idade. Ray é um filme que figura na lista daqueles que valem a pena ver de novo.

Leia mais:Espaço Cultural - Ray - Um exemplo de superação

Pagina 1 de 2