Segunda, Outubro 23, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Universalismo: Palavras de Mestre: Propensão ao Bem

bemA inclinação natural do ser humano ao bem é devida a sua Creação pelo bem que o formou.

A formação do bem, no entanto, só se realizará pelo esforço da vontade de decisão pelo bem, deixando de ser uma inclinação para ser, de fato, a razão de Ser.

O que é, por definição, uma característica positiva, de fato pode ser uma angústia constante¸ já que o livre-arbítrio torna factível, também, uma inclinação ao mal, pois escolher entre o bem e o mal é uma questão, a priori, de inteligência e, finalmente, sabedoria. De início, a inteligência, por ser formada pelas experiências conclusivamente positivas, pode levar algum tempo entre erros e acertos, muitas vezes, o mais frequente, mais erros do que acertos. Aí, então, a inclinação ao mal. Experiências regadas de instintos, num mundo regido mais por esta força humana, o mal, que provém da lascívia, torna-se frequente, equivocando-se com o normal de um ser.

A angústia constante é devido à contraposição entre o ser divino que insiste em evidenciar-se e o comportamento lascivo, que mantém sua posição com fachadas de mentiras, tentando manter-se em posição divina quando, de fato, a mentira, o mal, não têm essa condição.

Vários comportamentos aparentemente flagrados pela mentira causam angústia. Pode ser aparentemente prazerosa a mentira, mas, com certeza, é desgastante, por ter que duelar com o divino de cada um e de um sistema. E ainda viver com o fato de sua finita condição, pois é cria de uma má formação e tem os seus dias contados. Só a verdade tem condições de infinita jornada, pois sua base é evolução, que caracteriza a construção, produção, vida, bem comum.

A autenticidade é o verbo que crea, pois sua solidez está na forma de Vida que a constitui. Permanecer em mentira afasta da luz aqueles que persistem em não ver o bem da Creação. Isto já deixa de ser um momento de insensatez para ser uma decisão de vida. Uma mentira chama por outra mentira, que necessita de mais uma, de mais outra e muitas para poder ir se mantendo. Neste momento, a referência do bem deixa de existir e os comportamentos seguintes tornam-se muito além da harmonia, da paz e, principalmente, da lucidez.

Portanto, a propensão ao bem não é uma imposição, é bem mais uma opção em aceitar esta inclinação ao bem de formas creadas.

O fluir natural de uma alma iluminada pelo bem sempre busca o confronto da verdade em suas experiências de vida. Seu cotidiano é sempre uma proposta de bem-estar para todos. A transparência de suas atitudes revela o cristalino de sua alma e expressa a força de seu espírito virtuoso. Nesta decisão de viver a autenticidade de si, viver em verdade, a vida corre sem tropeços e sem angústias. Ela é dinamicamente próspera, sem conflitos que são gerados pela mentira. Ater-se à verdade é estar voltado para o horizonte vertical do bem. O mundo será, um dia, pleno de bem-estar, quando os homens decidirem-se pela verdade. Todos os males que tem neste mundo desaparecerão, pois o que os gerava, a mentira, dará lugar à verdade e esta só gera bem-estar, harmonia e paz.

Porém, para isto, cabe a todos, a decisão da verdade, da autenticidade de seus pensamentos, de sua inclinação nata. É possível!

“Muitos foram os chamados... mas poucos os escolhidos.” (Jesus)Entre os escolhidos podemos estar, todos, resta-nos a decisão der ser autenticamente verídicos.

Um abraço.

Raizen / Elaine Sanches Morais