Sábado, Julho 22, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Práticas Cotidianas

cpa_praticas2Este livro é resultado de um trabalho em equipe, em comunhão com o plano espiritual, de forma solidária. "Práticas Cotidianas" vem como uma cartilha para nossa evolução, esclarecendo nossas dúvidas sobre educação, orientação para pais e filhos, sexualidade, relacionamento familiar, conjugal e afetivo - enfocando tema como namoro e "ficar", profissionalismo, amizade, cordialidade, uso correto da voz, do tempo, do sorriso, bem como outros temas do dia-a-dia. Numa linguagem simples e objetiva, encontra-se as informações necessárias que possibilita a prática das Corretas Relações Humanas. Organizadora: Elaine Sanches Morais.

Preço: R$19,00 cada volume

Leia a seguir o primeiro capítulo do livro "Práticas Cotidianas I":

A bênção da vida

Toda manhã, ao acordar devemos agradecer a Deus por estar vivos e poder desfrutar da beleza da natureza, pois Seu amor nos preenche de Vida e faz vibrar, em nós, tudo que há de divino.

Como é lindo o amanhecer, quando abrimos os olhos e vemos a claridade do dia, ouvimos o canto dos passarinhos, o borbulhar das águas do riacho; quando ao olhar para o céu, sentimos o Sol a nos aquecer ou o frio a nos unir; até que chega o anoitecer e nos deparamos com as estrelas e o luar a nos iluminar o caminho e, no entanto, muitos não têm tempo ou não se dão conta da bênção da Vida.

A bênção é a ação do Pai que nos impulsiona para o bem.

A Vida, que é uma graça divina, é mais, muito mais que podemos imaginar, é o elo constante de energias, é a felicidade de poder sentir a extensão de Deus.

A cada dia que amanhece, podemos nos tornar melhor do que éramos no dia anterior, percebendo o valor real de tudo que existe no universo, principalmente, a natureza humana e a importância dos outros no nosso crescimento, expressando cada vez, mais a essência divina no cotidiano.

Esta existência é muito preciosa para ser desperdiçada, vamos aproveitar a chance que temos em nossas mãos e trabalhar no sentido de nos aperfeiçoar, pois é melhorando que podemos auxiliar melhor o nosso semelhante.

Agradecemos a Vida; agradecemos a oportunidade de crescimento; agradecemos o amor que Deus manifesta por nós; agradecemos as condições de desenvolver as virtudes que fazem parte da nossa constituição divina.

Nunca é tarde para recomeçar, façamos um balanço refletindo sobre tudo que fizemos até este momento, superando nossas dificuldades e limitações e recomeçando vida nova, fortalecidos pelas virtudes. Não percamos esta oportunidade, porque não sabemos o que nos espera no amanhã.

Por tudo isso é nosso dever agradecer a Deus pela Vida e ao agradecer, demonstramos gratidão, reconhecendo e refletindo a luz de Deus, a cada dia que se inicia.

Leia a seguir o primeiro capítulo do livro "Práticas Cotidianas II":

Aprendizado Mútuo

A espontaneidade da criança, sua alegria e entusiasmo contagiam qualquer adulto, fazendo lembrar a inocência de quando eram crianças.

Ao cuidar de nossas crianças, as quais nos são concedidas pela vida, seremos abençoados por um trabalho que vai edificar nossa alma, vida, objetivos, enfim, nossa tarefa espiritual.

São oportunidades que a “Vida” nos concede para que vivamos realmente, porque as crianças nos ajudam a enxergar a alegria, como brincar de forma produtiva e pedagógica e como vamos viver, passo a passo, seguindo um reto caminhar.

Sendo responsáveis por seres em evolução, dependentes de nosso cuidado, vamos percebendo como nosso Creador cuida também de cada ser vivo, como nos ensina o rumo a tomar e como podemos aprender com todas as situações.

Quem se dispõe a zelar pela educação de uma criança deve estar ciente da necessidade de um constante aprimoramento, estudo e renovação em sua própria espiritualidade para que possa coordenar, com sabedoria, o poder que possui para a construção do futuro dessa criança.

Muito podemos aprender e evoluir por meio da educação e da responsabilidade que temos para com elas. Quando vem a nós a responsabilidade de educar um pequenino ser, vários aspectos são envolvidos.

Primeiro, podemos levar em conta que quem vem para conviver conosco já está ligado a nós carmicamente, tendo sempre vínculos anteriores ou compromissos mútuos.

Também devemos considerar que não somos somente nós quem ensina aos nossos filhos, temos que lembrar que, simplesmente, somos responsáveis pela sua criação até certo ponto, até que eles, por si próprios, consigam ter suas decisões e continuem seu caminho.

Como faz parte de cada um de nós um histórico anterior, com as mais diferentes informações, viemos todos com certas tendências e faculdades já adquiridas, o que proporciona um intercâmbio de diversidade, que nos leva a um aprendizado recíproco.

E assim, vamos aprendendo uns com os outros e elevando-nos espiritualmente, uma vez que estamos compensando as energias anteriores, segundo a lei do carma, segundo a lei do Creador, que é de cultivar a unidade dentro desta grande diversidade.