Segunda, Novembro 20, 2017
   
Text Size

Pesquisa

Dependência Virtual

dependenciaDevido ao grande avanço tecnológico das últimas décadas, o mundo vive hoje a era virtuale tudo gira em torno da comunicação virtual, “internet”.

Há bem pouco tempo,ter acesso à internet era privilégio de poucos, hoje esta realidade é bem diferente, pois este recurso tecnológico passou a fazer parte fundamental na vida de grande parte da população. Se antes as pessoas reclamavam quando ocorria falta de água,energia elétrica ou ficavam semtelefonia, hoje, ficar alguns segundos sem a conexão da internet leva muitas pessoas ao desespero.

As empresas de eletrônicos têm colaborado muito no sentido de tornar a comunicação e o entretenimento virtual elemento de primeira necessidade na vida de algumas pessoas, pois a cada dia surgem equipamentos mais avançados,todos com o objetivo de facilitar o acesso dos internautas, onde quer que eles estejam. Trata-se dos PDAs (personal digital assistants),MP3 Players, aparelhos de jogos de mesa/portáteis e smartphones, computadores de mesa, laptops,notebooks, entre outros.Enfim, existe hoje uma lista de equipamentos que oferecem facilidades incríveis de comunicação e diversão virtual, de tamanhos cada vez menores, facilitando e permitindo que sejam transportados para qualquer lugar.

Muitas são as facilidades oferecidas pela comunicação virtual. Através da internet pode-se comprar, vender, pesquisar, estudar, divertir-se, namorar, fazer amigos, jogar, encontrar pessoas que há muito tempo não se vê trabalhar, receber informações mundiais em tempo real. Trata-se realmente de uma ferramenta importantíssima para o desenvolvimento da humanidade, quando utilizada de forma equilibrada e com inteligência.

A comunicação virtual ou internet não é algo muito novo como muitos podem pensar, ela surgiu na década de 1960, nos Estados Unidos, no período da guerra fria. Em 1988 chegou ao Brasil, inicialmente apenas ligando Universidades do Brasil a Universidades dos Estados Unidos. O que é novo na verdade é a forma descontrolada e compulsiva com que as pessoas vêm utilizando esta ferramenta.

Desde 1998 já existem estudos que comprovam o uso compulsivo dastecnologias virtuais e atualmente,profissionais de diversas áreas como clínicos, pesquisadores, profissionais da mídia, juristas, entre outros buscam um termo que possa definir e contextualizar esta nova problemática que não escolhe nível educacional, sócio-econômico, faixa etária e nem sexo, mas quetem levado muitas pessoas a viver uma vida totalmente a parte da vida real.

Se por um lado os recursos tecnológicos disponíveis no mercado facilitam muito a vida humana, por outro, a falta de maturidade e o desequilíbrio ao utilizá-lo trazem muitos prejuízos àvida eà convivência humana, o que afeta o ser na sua integralidade.

Fisicamente, a pessoa pode desenvolver problemas visuais, privação de sono, alimentação incorreta que a levam ao estado de fadiga física, emocional e mental, sem contaros problemas musculo-esquelético devido à posição diante do computador, sentada, deitada, recostada. Como todos sabem o corpo precisa de movimento, para não enrijecer as articulaçõesnão ter dores.

As alterações psicossociais vão desde a depressão, problemas nas relações interpessoais, solidão, diminuição na comunicação social, perda de emprego, déficit no aproveitamento escolar, entre outros.Algumas pessoas aproveitam as redes sociais para se personificarem daquilo que gostariam de ser, criar uma personalidade totalmente oposta a sua realidade,como, por exemplo,os tímidos, inseguros passam uma imagem de pessoa extrovertida, segura, bem como muitas verdades podem ser camufladas numa rede social, como idade, características físicas, sexo, condição econômica, entre outras.

A facilidade de criar um mundo de fantasia é um grande atrativo no processo da dependência virtual, pois muitas vezes a pessoa deixa de viver a sua realidade e passa a viver a vida virtual que criou.

Estudos já comprovaram que fisiologicamente, a dependência virtual é muito parecida com a dependência química de qualquer droga, ou seja, o prazer gerado pelo uso das tecnologias virtuais sejam elas redes sociais, jogos, etc..., aumentamno cérebro os níveis do neurotransmissor chamado Dopamina, e acostumadas com esse nível elevado as pessoas alimentam mais o vicio.Os sintomas da abstinência virtual também são parecidos com o de outros tipos de dependência: irritação, frustração, mau humor, entre outros.

Tudo hoje acontece muito rápido,as notícias percorrem o globo terrestre em questão de segundos, porém ao mesmo tempo em que as tecnologias de comunicação e entretenimento foram criadas com o objetivo de nos manter conectados com tudo e com todos, em tempo real,seu uso abusivo tem nos afastado das pessoas mais próxima.

Muitos usam estas tecnologias como fuga da realidade, ese afastam do convívio (real), tiram o foco do momento presente e viajam para outro lugar, outros até perdem o emprego,têm prejuízo no orçamento mensal, pois existemjogos em queé necessária a compra de equipamentos virtuais para continuar jogando. Na França uma pesquisa relatou que 50% de todos os divórcios tinham questão de mídia digital ou internet, isto porque como já dito, as pessoas usam este recurso para fugir de sua vida real e deixam de dialogar sobre problemas que devem ser resolvidos na convivência diária.

“As pessoas procuram evitar a dor e sentir prazer, e elas aceitarão o prazer em qualquer forma que ele pareça estar disponível. Se perdermos o contato com nossas fontes internas de alegria, se a felicidade que se origina fora de nós mesmos é a única que conhecemos então essa é a experiência que iremos buscar para nós. Dependendo das nossas circunstâncias, esse empreendimento pode ser extremamente positivo e proveitoso. Lamentavelmente, ele também pode se manifestar como o vicio em suas múltiplas forma.” (Chopra)

Não há fonte de aprendizado maior, nem de alegria e nem mesmo melhor caminho para encontrar a felicidade do que aqueles oferecidos pela convivência.

Referências Bibliográficas:

ABREU, C. N., KARAM,R. G., GÓES,D. S., SPRITZER, D.T.,Dependência de Internet e de jogos eletrônicos: uma revisão. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/rbp/v30n2/a14v30n2.pdf. Acesso em: 15/06/12 

CHOPRA.D., Dominando o Vicio. A Solução Espiritual. E.1º .Ed. Rocco. Rio de Janeiro. 1998.

YOUNG,K.S., ABREU, C.N. Dependência de Internet. Manual e Guia de Avaliação e tratamento. E.01. Ed. Artmed.  p. 169 a 187. 2011

Novidades

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4