Saúde: Cintura Pélvica

cinturapelvica1

A pelve ou quadril também é conhecida como cintura pélvica, sendo formada por diversos ossos, articulações, músculos, mas as estruturas mais famosas são os nervos femural e ciático que saem da região lombo-sacral. O conjunto de músculos da região é conhecido como assoalho pélvico. Através da interação das forças de suas estruturas, o quadril dá suporte ao corpo, protege diversos órgãos genitais e abdominais, e ainda faz a transição do lado direito e esquerdo, sem essa transição não nós conseguiríamos andar, por exemplo.

Dores na região podem ser indício de problemas posturais, como anteroversão de quadril (quadril rodado para frente), hiperlordose, ou retroversão (quadril rodado para trás). Este último pode gerar uma retificação que promove uma contração excessiva da musculatura lombar, podendo afetar os rins, ou ao contrário, a dor nos rins provoca a contração muscular e sua posterior alteração postural, assim, cuidar de um significa prevenir o outro.

A dor ainda pode ser por outras causas, como fraturas, luxações, hérnias de disco lombar, inflamação dos nervos e ou músculos, artrites e artroses, osteoporose, escolioses ou câimbras. Algumas pessoas também encontram dificuldade para caminhar devido alterações de quadril.

Contudo há outros problemas que não ligamos à região do assoalho pélvico, mas que através dele podemos achar a solução… a incontinência urinária é uma delas.

A incontinência urinária, tanto masculina quanto feminina, é a perda de urina, que pode ter diversas causas, como a redução do tamanho da bexiga, ela ter se relocado (bexiga baixa), por conta de pós-parto, pós-cirurgia de próstata e outros. Se usarmos a musculatura do assoalho pélvico e abdominal, pode-se atingir uma força muscular de tal proporção que aumenta a força de contração do esfíncter urinário, permitindo maior controle e conforto.

Existem diversos tratamentos para a área, como cirurgias, fisioterapia, exercícios, prevenção e uso de órteses e próteses.

Dentre os exercícios indicados há sempre a indicação de alongar e fortalecer as estruturas.

Antes de começar qualquer exercício é importante aquecer com alongamentos, uma leve caminhada (pode ser de bicicleta ou esteira, 15 minutos no mínimo), para depois partir para um fortalecimento mais específico.

Benefícios dos exercícios: melhorar a função local, aumentar a resistência, aumentar a potência e relaxamento.

Além desses, o exercício regular também ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue, controla o peso corporal, diminui a ansiedade e depressão, os riscos coronarianos e o estresse, os níveis de colesterol e triglicérides no sangue, prevenindo a ocorrência de arteriosclerose, melhora a qualidade de vida, o condicionamento físico e resistência.

Um exercício bem simples é sentar confortavelmente, contrair a pelve e o esfíncter como se não quisesse soltar nada.Contrai, conta até 5 e relaxa. Fazendo algumas vezes ao dia, todos os dias, (já) promoverá parte de seu fortalecimento.

A figura demonstra um exemplo de exercício que mobiliza e alonga a região lombar.

O ideal é procurar uma ajuda profissional antes de realizar qualquer treino ou atividade física, pode ser em uma academia, um personal trainer, ou fisioterapeuta, mas (sim) ter a informação necessária e personalizada para cada caso para determinar quais os melhores exercícios.

O mais importante é saber que com disciplina e boa vontade é possível melhorar a condição física atual, seja ela qual for.

Autora: Andréia J Sanches Morgado

Fontes: KISNER, C. ; COLBY, L. A. – Exercícios Terapêuticos – Fundamentos e Técnicas. 5ªedição. Editora Manole. 2009.

MALONE, T.; McPOIL, T.; NITZ, A. J. – Fisioterapia em Ortopedia e Medicina no Esporte. 3ª edição. Editora Santos. 2000

Imagens: clip-art, arquivos pessoais.

Posts Recentes

Assine já!

Quer estar por dentro das últimas novidades?

Não se preocupe, também não gostamos de spam ;)
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de privacidade.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Veja Também

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Institucional